31.3.06

Dirk Schwieger é um alemão que documenta sua vida niponesa em quadrinhos.

30.3.06

Hoje, o discurso político coloca as filiações religiosas acima de todas as outras. Mas não precisa ser assim.
Celine Dion é ridícula, não importa o que faça.

29.3.06

Uma análise do que torna Lost revolucionário para a televisão.
Bjorklund and Bering argue that if ideas about an afterlife were solely a cultural phenomenon, the opposite would be true: Younger children would be less likely to believe, not more. If humans are blank slates when it comes to religious belief, then the exposure to society's ideas about souls and heaven would influence young skeptics to take on these ideas and become believers as they aged. Instead, the data shows that older kids are more skeptical.
Segundo uma pesquisa do Ibope, 75% dos brasileiros cometeriam atos de corrupção se estivessem no lugar dos políticos. Histórias ou psicológicas, as razões são muito complicadas.
O YouTube é uma mina de ouro de vídeos interessantes, como essa versão de Final Fantasy. (Obrigado, Mojo)
Neophilia has been, and still is, the key element in our culture. We have a long tradition of importing new things and welcoming them just for their novelty, from Buddhism, guns, playing cards, and tea to RPGs. And as for kid stuff—well, hey, our pop culture has been based almost entirely on childishness. The very first Japanese novel—The Tale of the Bamboo Cutter—was a fairly tale, ending with a pun. We have always favored childish things like wordplay and spectacle over the subtler arts of the aristocratic "high culture" of the ruling class.
A resposta é "Batman". Sempre!

27.3.06

A linha do tempo mais completa que já existiu.
Mirrormask chegou ao Brasil direto em DVD
Marisa Monte lançou dois cds recentemente - Infinito Particular e Universo ao Meu Redor - que vêm com controles de direitos autorais escrotos. Para ouví-los no computador, é preciso instalar um programa da gravadora, que fode bastante o seu PC.

Não compre essa merda. Baixe da Internet ou compre o pirata. Quem gasta dinheiro não merece ser tratado como ladrão.

23.3.06

When I was nine I discovered a pile of pornographic magazines in the woods behind my house. I was in yeshiva at the time, or I might not have realized that God was testing me as He had once tested Abraham with the sacrifice of Isaac. "Nice try," I said, and ran home. But I returned the next day, and the magazines hadn't moved. I failed right there in the woods. I brought the magazines home, and failed straight through the evening. When my parents left the next morning to do some errands, I took the magazines out back with a bottle of lighter fluid, laid them down on the cement walkway, and offered them up as a sin offering to the Lord.

A few weeks later, I found my father's dirty magazines, and I burnt those, too. And my brother's. And my mother's vibrator. And a "Betty And Veronica Comics Digest," which Rabbi Goldfisher said was tumeh, or impure, and a tool of the Evil Inclination.

For a few years, simple sacrifices sufficed.
danah boyd inventou uma palavrinha muito útil: super publics.

22.3.06

Uma pesquisa indica que os americanos odeiam os ateus mais do que odeiam gays e mulçumanos. Surpreendente.
Todo o louvor da mulher em relação a sua complexa sexualidade feminina é, na verdade, um grito desesperado por ajuda. É, sim. Um gutural urro que, traduzido em linguagem humana, significa mais ou menos: pelo amor de Deus, não sei o que fazer com todas essas zonas erógenas! Sou uma náufraga perdida num mar de baboseira cartesiana! Me come! Seja o meu Cambridge Companion to Whores.
Qual o som de Pi?
Terminei, em algum dia da semana passada Never Let me Go, do nipo-britânico Kazuo Ishiguro. Cheio de elipses e detalhes sem explicação, o livro é um dos melhores exemplos de slipstream que já vi. Ao mesmo tempo assustador e terno, o livro deve agradar a quem gosta de Paul Auster quando ele prestava e do filme Eternal Sunshine of Spotless Mind. Já na sua livraria, com direito a primeiro capítulo.

21.3.06

Destruir a Terra é muito difícil. Terei que rever meus planos seguintes à dominação mundial.
Eu já escrevi aqui: telefones, em geral, só servem para pedir pizza ("Ah, então este não é o seu primeiro post sobre aversão a celulares!" É sim. O post anterior a que me refiro era sobre aversão a telefones fixos.) Porque eu não vou me arriscar a pedir pizza pela internet. Sei lá, acho que aí é abusar da tecnologia. Não funciona. Mas, fora pedir pizza, tudo o mais em comunicação à distância pode - e deve - ser feito por escrito.
Adultos infantis de todo o Brasil poderão ter o brinquedo do McLanche Feliz comendo algo mais substancioso, mas não menos gorduroso.

20.3.06

Você percebe que alguma coisa mudou muito quando é mais rápido baixar a música do que procurar o cd.
A penectomia é um método muito perturbador de modificação corporal. Com fotos.

Se for olhar, não me encha o saco depois. Estou avisando que é fucking creepy.
Malcolm Gladwell explica porque S.U.V.s são menos seguros que outros carros.

19.3.06

"The fallacy behind perpetual recoinage, is to suppose that words must describe instead of stand for and evoke. For a reasonably stable language, words must continue to cover new details, and they can: we ship goods by truck and plane. We have cash in the bank though it is only a balance and not even written down. The bath room has only a shower stall. The table and bed linen are of cotton thread with some plastic intertwined. A lecture is not necessarily read. I am typing on a computer that uses no type. The man you quote who said record store was 'outdated but still in use' didn't stop to think. What are CD's and DVD's if not records?"
(user:leituras; pass: dodia)
Como todas as invenções modernas, a luz artificial destrói nossa saúde e causará o colapso da raça humana.

17.3.06

As FAQs do Oxford Word and Language Service são ótimas para quem tem dúvidas de inglês.
Shaping Things - mais ou menos resumido aqui - é excelente exemplo do interesse de Bruce Starling pelo design como índice do futuro.
In July, Mexico's attorney general became a smart object. Rafael Macedo de la Concha had an RFID chip implanted in his arm that can track and authenticate him, a bold bid to fight government corruption. Of course, it's his brain that makes him smart. It's the chip that makes him an object: cataloged, searchable, and locatable in space and time.
Os brasileiros lêem menos que os argentinos - o que é óbvio, já que eles são um povo razoavelmente civilizado quando não vêm encher o saco nas praias daqui. Isso me dá uma idéia para um programa de incentivo à leitura no Brasil: um monte de argentinos - com a camisa da seleção de futebol - lendo. Sob eles os dizeres: "você não vai deixar eles levarem esse título, vai?"

Funciona melhor se a Argentina ganhar a Copa.

16.3.06

Construa você mesmo uma Enigma - a máquina criptográfica nazista.

15.3.06

Eurylochus, tenente de Odisseus, relata a Guerra de Tróia em blog.

13.3.06

Coisas que é bom saber, mesmo torcendo para não precisar: como colocar seu olho de volta no lugar se ele sair.
Um amigo me mandou o texto da reportagem da Veja que o Galera mencionou.

11.3.06

Maldito seja Daniel Galera, que me chamou a atenção para um texto que vou ter que procurar na Veja.

Ima me esquecendo: rolou um misreading meu no início do texto. Em ve de "sou meio viciado", li "sou meio viado".
O Único e Verdadeiro Deus foi avistado recentemente em Hamburgo, Alemanha. Ramén.
Mais evidências de que os niponeses são muito, muito estranhos. (Obrigado, Mojo)
Um filósofo e um teólogo debatem sobre a necesside e os meios de estudar os fenômenos religiosos de maneira científica. O teólogo acaba demonstrando não entender muita coisa sobre o método científico. Mas a conversa é bastante civilizada.
Um texto muito bom sobre as diferenças entre uma forma de humor americana e uma niponesa. "Bom" no sentido de "bem escrito", já que não saberia dizer se ele fala merda ou não.

10.3.06

Além de gosmas plásticas, sua impressora 3-d um dia vai moldar metal.
Planetary e Lovecraft são invocados por um maluco que tenta entender Lost. Há spoilers do outro lado para quem viu pelo menos parte da segunda temporada.
Vamos supôr que eu quisesse estudar um pouco de antropologia, para digamos, fazer antropologia urbana e virtual. Que três livros vocês me recomendariam sobre o assunto?
O sistema Movie Cards devolve a materialidade da edição de filmes.
Por que eu insisto em ler tutoriais de como encadernar livros se sei que só vou fazer isso se houver um apocalipse qualquer?
Há água líquida em Enceladus, lua de Saturno.

9.3.06

Este ano eu já comprei dez livros: O Inventor da Solidão (Paul Auster - também conhecido como A Invenção da Solidão), Baía dos Tigres (Pedro Rosa Mendes), Never Let Me Go (Kazuo Ishiguro), Modesta Proposta e Outros Textos Satíricos (Jonathan Swift), Nice Work (David Lodge), 32 Stories : The Complete Optic Nerve Mini-Comics (Adrian Tomine), O Arco-Íris da Gravidade (Thomas Pynchon), Alec: The King Canute Crowd (Eddie Campbell) e Shaping Things (Bruce Sterling)

Apenas quatro dessa lista já foram lidos, com um quinto em processo. Pelo menos vinte disso entraram na Lista Infinita de Aquisições Futuras. Money, that's what I want.
Será que essa bebida inspirada em Final Fantasy fará meu irmão desistir da Coca-Cola? (Obrigado, Paolo)
A suicide girl Amina Munster registrou uma de suas tatuagens. Apesar de entender as razões, ainda me parece meio ridículo. E o autor da obra não seria o tatuador?
E se a Microsoft fizesse o iPod?

7.3.06

O colunista de ficção científica do New York Times recomenda dez livros que você precisa ler. Eu só li três. (user:leituras; pass: dodia)

Esta e Maria Clara, minha irmã nova. Nascida no último dia 25, ela ainda é muito nova para ler, mas sem dúvida aprovará um dia as idéias de Swift.

Como cozinhar de maneira mais eficiente para duas pessoas. O pior é que não tenho um freezer e o meu congelador é praticamente inexistente.
Eye Candy: Robôs feitos de aparelhos antigos.
Picasso é considerado por muito so maior artista plástico do século passado. E um economista comprova de forma irritantemente simples essa opinião.

Camilo Fróes - que faz um curso baseado em chutes - pode reclamar, como de hábito.

6.3.06

Que me perdoe a civilização, mas gente estúpida como esse editor deveria ser apedrejada na rua.
Você já viu muitas versões da abertura de Os Simpsons, mas ainda não viu uma com atores de verdade.
Self-publishing. The term has always had a ring of desperation. With the number of books published annually now reaching the hundreds of thousands, and after seeing the quality of a great percentage of those multitudes, it becomes easy to dismiss anything rejected by all publishers as unworthy. An author going the self-publishing route, then, is just someone not coming to terms with reality.

Except for when it comes to comic books. Some of the strongest writers and illustrators of comics have decided to dip into self-publishing from time to time. What makes that medium so different that going the self-publishing route isn’t so cringe-inducing—but rather a means of heightening credibility?